Conhecer ABRIL

Durante este mês relembre ou fique a conhecer melhor o 25 de Abril através de diversas actividades que organizámos a pensar em todos com entrada livre. *

MINI-CONFERÊNCIA sobre a LIBERDADE para MIÚDAS e MIÚDOS CURIOSOS, com Gabriela Trevisan.
Teatro Maria Matos
7, 8, 14 e 15 de ABRIL
Sábados, às 16h30 e domingos às 11h00 e 16h30
Entrada: 2€

ELAS TAMBÉM ESTIVERAM LÁ – QUOTIDIANOS DE RESISTÊNCIA E DE REVOLUÇÃO DE MULHERES, pelo Teatro do Vestido
Sala de visionamento do edifício da Rank filmes/ Cinema São Jorge
13, 17, 18, 19 e 20 de ABRIL, às 21h00
14, 15 e 21 de ABRIL, às 19h00
Entrada livre

FESTIVAL POLÍTICA
Cinema São Jorge
De 19 a 22 de ABRIL
Cinema, conversas, debates, concertos, workshops, arte e actividades para crianças. Uma programação que nos convida a repensar a sociedade atual e os moldes em que exercemos a nossa cidadania.
Entrada livre

REVISITAR A REVOLUÇÃO: ECOS LITERÁRIOS DA ‘SEMANA DOS PRODÍGIOS’,
Palácio Pimenta – Museu de Lisboa
Conferência organizada pelo CLEPUL – Universidade de Lisboa e pelo Instituto de História contemporânea da Universidade NOVA de Lisboa.
24 de ABRIL, às 18h00

O Museu do Aljube – Resistência e Liberdade, para comemorar os 44 anos do 25 de Abril e festejar o 3º aniversário do Museu, organizou um programa especial e variado que inclui conferências, visitas guiadas e teatro, com entrada livre.

A PIDE NO PINHAL NOVO. PARA QUE A MEMÓRIA NÃO ESMOREÇA
Apresentação do livro de José Cabrita por Nuno Teotónio Monteiro e Desidério Macau
10 de ABRIL, às 18h30
Nesta obra, que se debruça sobre a acção da PIDE, José Cabrita explora o arquivo documental da polícia política dando voz ainda a vários testemunhos de quem passou pelas prisões do Tarrafal ou de Peniche, bem como dos seus familiares e amigos.

VIDAS PRISIONÁVEIS
18 de ABRIL, às 16h00
Raimundo Santos é o convidado desta conversa conduzida por Ana Aranha que faz parte de um ciclo organizado pelo Museu, onde se recolhem depoimentos de antigos presos políticos do Aljube ou de outras prisões políticas da Ditadura Militar e do Estado Novo (1926-1974). Raimundo Santos foi preso político e julgado por pertencer a um “comité operário” nos anos 70. Cumpriu pena, tendo depois partido para o exílio.

DIAS DA MEMÓRIA
25 ABRIL, das 10h00 às 18h00
Museu aberto à comunidade – Recolha de testemunhos e objetos
A luta pela liberdade e pela democracia faz parte do nosso passado, mas também do nosso presente. Partilha de memórias de resistência e do encarceramento, vividas por si ou por amigos e familiares.

VISITAS ORIENTADAS ao Museu do Aljube
25 ABRIL, às 10h30, 11h30 e 15h00

JOSÉ DIAS COELHO – ARTISTA MILITANTE REVOLUCIONÁRIO
Abertura da exposição
25 ABRIL, 17h00
José Dias Coelho, artista plástico e funcionário clandestino do PCP, tinha 38 anos quando, em 1961, uma brigada da PIDE o assassinou a tiro na antiga rua da Creche, que hoje leva o seu nome, em Alcântara. Uma vida curta, desde muito cedo marcada por dois traços que iriam definir a sua personalidade: um raro talento artístico e a revolta contra as injustiças sociais e a opressão. Com 13 anos, ainda estudante liceal, já era notado pela invulgar qualidade dos seus desenhos e a expressividade das caricaturas de colegas e professores.

CORAGEM HOJE, ABRAÇOS AMANHÃ
25 ABRIL, às 18h00
Espectáculo de teatro, da autoria de Joana Brandão, escrito a partir de testemunhos, cartas e memórias de mulheres que foram presas pela PIDE durante o período do Estado Novo.

 

* Limitada à lotação dos espaços. / Entrada livre, à excepção da actividade no Teatro Maria Matos e Palácio Pimenta.