Publicado em 31 Março, 2021

Abril em Lisboa

“Coragem hoje, Abraços amanhã” era uma mensagem de alento partilhada na prisão, entre as mulheres detidas durante a ditadura. Passados 47 anos sobre a Revolução de Abril, a EGEAC, através da sua programação Abril em Lisboa e do Museu do Aljube, presta homenagem à memória dos resistentes antifascistas e à sua luta pela liberdade.

Num momento em que a pandemia limita os contactos e condiciona os encontros, a mensagem “Coragem hoje, Abraços amanhã” ganha um novo sentido. Inspiremo-nos na resistência para mantermos viva a esperança de que dias melhores virão.

Até lá, vamos fazendo caminho, não deixando a cultura e o pensamento para trás. Começamos com mais dois encontros da comunidade de leitura Ecotemporâneos, que na companhia de livros e autores nos convidam a refletir sobre a sociedade que queremos e aquela em que vivemos. Para assistir online, transmitido a partir do Jardim do Palácio Pimenta.

Mudando de cenário para o Museu do Aljube, teremos a estreia da peça “Amores na Clandestinidade”, de André Amálio. Uma encenação especificamente concebida para aquele local simbólico da luta pela liberdade, que se debruça sobre as relações familiares e afetivas forjadas no contexto da resistência à ditadura, também para ver online.

A Sala Rank Filmes, no Cinema São Jorge (que noutros tempos foi usada para o visionamento prévio de filmes) abre as suas portas para a reposição da peça “Elas também estiveram lá”, de Joana Craveiro. Um trabalho que questiona o papel quase sempre secundário atribuído às mulheres nas narrativas oficiais da revolução de 1974 e um sucesso de público e de crítica, esgotando todas as sessões na sua estreia em 2018 e que poderá ver (ou rever) agora a partir de casa.

As múltiplas vidas de Lisboa e dos seus lugares continuam a ser lembradas através de percursos e conversas. Este ano, o itinerário é virtual e percorre a Avenida Almirante Reis, um dos epicentros de uma boémia lisboeta que desafiava as convenções da ditadura, construída a partir dos cinemas populares e dos cafés e cervejarias. “Os cinemas e outros lugares de encontro na Avenida Almirante Reis” recorda locais de diversão e de uma certa liberdade numa das principais avenidas de Lisboa, onde se expandiam os limites impostos ao pensamento.

Na noite de 24 de abril, não nos poderia faltar a música. Desafiamos o artista Manuel João Viera e um naipe de músicos de exceção a deambular por fados e canções que se revestiram de diferentes significados, antes e depois da revolução dos Cravos. Fados revolucionários, canções de intervenção e outros temas do nacional cançonetismo, interpretados algures entre a “Nostalgia e a Utopia”. Para assistir online através das nossas redes sociais.

Festival Política continua a antecipar grandes questões sociais e, este ano, coloca o foco sobre a problemática das fronteiras. Ao longo de quatro dias, entre 22 e 25 de abril, os vários espaços do Cinema São Jorge serão ocupados com cinema, workshops, música, performances, debates, humor e atividades para famílias, além de programação online. Um festival que abre horizontes e promove a reflexão crítica e artística sobre temas fortes da atualidade. O que é, no fundo, o que queremos provocar ao longo de todo o mês de abril.  Sempre sem deixar cair a esperança.

 

Toda a programação está disponível aqui