Saltar para conteúdo principal Mapa do site Ajuda na navegação e acessibilidade web Página inicial EGEAC

Galerias Municipais

As Galerias Municipais são constituídas por cinco espaços sem coleção: Pavilhão Branco, Galeria da Boavista, Torreão Nascente da Cordoaria Nacional, Galeria Quadrum e Galeria Avenida da Índia. Têm por missão potenciar o meio artístico e refletir a cultura contemporânea, privilegiando o trabalho em rede, criando oportunidades de diálogo com vários agentes do meio, artistas e curadores locais, regionais e internacionais, em diferentes estágios das suas carreiras.

Localização

Galerias Municipais
Palácio dos Coruchéus
Rua Alberto de Oliveira, 52
1700-019 Lisboa

Obter Direcções

Horários

Terça a domingo
das 10h às 13h e das 14h às 18h

Encerram às segundas e nos dias de 1 janeiro, 1 de maio, 24, 25 e 31 de dezembro

Acessibilidade

Para mais informações sobre a acessibilidade dos espaços, por favor, contacte as Galerias Municipais

Sobre as Galerias

Galeria Quadrum
Integra o complexo dos Coruchéus desenhado por Fernando Peres Guimarães e inaugurado em 1971. Aberta ao público dois anos mais tarde, a Quadrum surgiu da visão de Dulce d’Agro, uma das mais importantes galeristas do país e responsável pela gestão deste espaço até meados dos anos 1990, ficando a Galeria recordada como importante espaço de promoção dos mais diversos experimentalismos, sobretudo na época entre o 25 de abril de 1974 e o início da década de 1980. Mantém-se atualmente como espaço de divulgação da arte contemporânea.

Palácio dos Coruchéus
Rua Alberto de Oliveira, 52
1700-019 Lisboa
T: +351 215 830 022

Galeria Avenida da Índia
Faz parte de um conjunto urbano em Belém, de carácter industrial, que remonta ao século XIX, onde mais tarde viriam a funcionar os ateliês de artistas plásticos como Lagoa Henriques, Maria Helena Matos, António Cândido dos Reis e Carlos Amado. Foi inaugurada em 2015 e embora assuma uma vocação de diálogo e questionamento da herança e memória pós-colonial, é um espaço que assume uma abordagem multidisciplinar de mostras das mais diversas temáticas exploradas no âmbito da prática artística contemporânea.

Av. da Índia, 170
1300 – 299 Lisboa
T: +351 211 941 466

Galeria da Boavista
Inaugurada em 2009, a Galeria da Boavista localiza-se num edifício construído entre os finais do século XVIII e início do século XIX, com a sua ornamentação em ferro vermelho a ter origem num projeto de 1910. Assume, desde a abertura, uma vocação abrangente e multifacetada apostando numa programação partilhada com agentes culturais vários que aqui desenvolvem exposições, performances, concertos ou outras atividades.

Rua da Boavista 50
1200-066 Lisboa
T: +351 913 059 858

Pavilhão Branco
Situado nos jardins do Palácio Pimenta, no Campo Grande, o Pavilhão Branco foi desenhado pela arquiteta italiana Daniela Ermano e edificado em 1995. Com um traço neomoderno e fachadas maioritariamente em vidro, permite um forte contacto com o ambiente exterior (os animais e plantas dos jardins), deixando o visitante com uma sensação de estar dentro e fora do espaço ao mesmo tempo.
Desde a sua inauguração, tem vindo a desempenhar um papel central na estratégia de promoção e divulgação da arte contemporânea.

Palácio Pimenta
Campo Grande, 245
1700 – 091 Lisboa
T: +351 215 891 259

Torreão Nascente da Cordoaria Nacional
A galeria de arte, instalada no Torreão Nascente, é um espaço onde se organizam exposições e retrospetivas de artistas portugueses e também algumas parcerias internacionais.
O edifício remonta à década de 1770 quando, por ordem do então Primeiro Ministro, Marquês de Pombal, é decretada a construção da Real Fábrica de Cordoaria nos terrenos contíguos ao Forte de São João da Junqueira e está classificado como monumento nacional desde 1996.

Avenida da Índia
1300 – 299 Lisboa
T: +351 213 646 128